segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

MULTIMISTURA DIVULGA BIOGRAFIA NÃO AUTORIZADA DE CÁSSIO CUNHA LIMA


--- Paulinho da Força é mil vezes pior do que Ameba.
--- Multimistura bate recorde de audiência.
--- Multimistura ciência descobre um novo órgão no corpo humano que controla os “clorifórmios fecais”.
--- Temer e Gilmar espalham “clorifórmio fecal” em Portugal.
BLOCO 4 GRAVADO NO RADIOTUBE:


sábado, 14 de janeiro de 2017

Hoje é dia de rock no “Alô comunidade”

O programa “Alô comunidade” recebe hoje a banda Stress City, do baixista Baby Gutemberg, e o animador cultural Cícero Limeira.
“Alô comunidade” é produzido pela Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares e transmitido pela Rádio Tabajara da Paraíba AM, 1.110 KHZ, e mais uma rede de emissoras comunitárias e públicas.
Apresentação de Fábio Mozart e produção de Dalmo Oliveira.
Ouça ao vivo às 14 horas deste sábado (14) também pelo portal da emissora:

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

RÁDIO ZUMBI descaradamente apresenta MULTIMISTURA com o novo âncora, Cícero Limeira.


--- Rádios comunitárias chegam ao poder.
--- Folia de rua perde o poder e fica sem grana.
--- Feministas têm posições machistas? Misóginos do Multi abrem esse debate e a coisa fede.
--- Mamute é um animal extinto, mas espécime sobrevive no Cuiá e adjacências.
--- Adeildo Vieira, Bebé de Natércio e Pádua Gorrion são alguns dos milhões de amigos do Multimistura.
GRAVAÇÃO DO BLOCO AQUI:

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Tudo tão clichê que já não se tem nada de novo a dizer


Os cronistas diários têm ares e atitudes de idiotas que vivem fuçando pequenos detalhes nas insignificantes coisinhas de la vida, feito aquele maluquinho que eu chamo de Doido das Formigas. Ele passa o dia todo observando as formigas, cada detalhe de suas vidinhas programadas. Não escreve crônicas sobre isso, mas deve viver absolutamente fascinado pelo mundinho desses insetos.
Compadre velho reclamando porque nunca mais atualizei a Toca. Falta de assunto, de interesse nas coisas que acontecem, nesse rame rame cotidiano que me dá enjoo e não inspiração.
Melhor abstrair-se em temas absolutamente fora da realidade, feito estes versos atribuído ao escritor Erasmo Souto, de Itabaiana:
SENEXO

Tu és o quelso do pental ganíreo
Cronando as rimpas do fermim calério
Em dregas mónticas do lesbor salírio
Em fricas dróganas do hermonsidério,
Tens nas sebes cardonas retórios musgos
Prenados, frumidos éfoscos cismonos
Premudos, fréjidos, ênticos, mertonos,
Ertados, bíticos, clévios e diifusgos.

Não é lindo? Criatividade. Coisa de doido, que todo artista tem que ser bastante maluco para prestar atenção nas desacontecências do mundo. Com gente assim, convém tomar cuidado. Nunca se sabe a hora em que vão surtar e imitar Deus, criando arte do nada, sem controle ou racionalidade.

No mais, deixe o resto em 2016, aquele sobejo de mágoas, frustrações e pesares. Cuide das coisas minúsculas de seu humilde formigueiro. Antes que pense que isso aqui é auto ajuda, eu conto um fato espantoso: até agora não saí de 2016. Atolei meu carro no passado, apenas superficialmente entrado no ano novo. Ano novo? Tudo mentira, descobri! Continuo lá, no pretérito. Se o sujeito não for experiente nesse negócio de ver de perto as miudezas, acaba na ilusão do calendário. Pra mim, o que tem de novo é o poema excêntrico de Erasmo Souto. 

Outro pormenor fundamental para ver se seu ano é realmente novo: já gozou diferente em 2017? Sim, porque a cópula diz tudo sobre inventividade na arte de viver. Mesmo sem vida sexual propriamente dita. Entender vivências, só prestando atenção nos coitos. Em 2017, se você permanece premudo, sinal de que suas sebes cardonas andam com lesbor salírico, necessitando de fréjidos, ênticos e calérios hermonsindérios.

Por falar em doidice, até hoje não entendo direito porque uso agendas. A minha ainda está em 2016. Só que rasguei as páginas onde anotei as mazelas e intermináveis adiamentos. Domesticar a agenda, é meu truque. Os melhores momentos, aqueles que renderam alguma coisa, esses ficam anotados e reescritos. Aquele ponto em que atravessamos a fronteira da poesia, isso me absolve da comoção e do pecado de viver tão insignificantemente, como as formiguinhas.


sábado, 7 de janeiro de 2017

Poeta e professor itabaianense concede entrevista à Rádio Zumbi neste sábado (7)


O professor Antonio Marcos Monteiro, de Itabaiana, será o entrevistado de hoje, sábado, (7) no programa "Alô comunidade", às 14 horas na Rádio Tabajara da Paraíba AM (1.110 KHZ). O programa é produzido pela Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares, do bairro Ernesto Geisel, e retransmitido por diversas emissoras e portais da internet. 

Antonio Marcos Monteiro é professor e poeta cordelista, membro da Academia de Cordel do Vale do Paraíba. Reside em Itabaiana, onde desenvolve projetos de difusão do cordel em escolas públicas e privadas. 

O programa tem apresentação de Fábio Mozart e produção de Dalmo Oliveira. Pode ser ouvido pela internet no site da Tabajara: www.radiotabajara.pb.gov.br

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

MULTIMISTURA ataca novamente


--- Poesia de Pedro Osmar abre este bloco do MULTIMISTURA

--- MULTIMISTURA lembra de um herói brasileiro que foi assassinado no Natal passado.

--- A ausência de Bebé de Natércio foi bastante notada no último programa do ano.

--- Arrombaram a democracia e a cachaçaria.

GRAVAÇÃO AQUI: