terça-feira, 19 de setembro de 2017

ETC & ETC

·      


   TOADA DE TERREIRO, de Fábio Mozart e Orlando Otávio, faixa do álbum "Music from Paraíba" e Mostra SESC 2011.

No RadioTube:
https://www.radiotube.org.br/audio-4745WPvO4wabY


    Professor de Itabaiana faz pesquisa histórica sobre sua cidade. Pediu emprestada minha coleção de jornais antigos. A história abordada na sala de aula precisa de vida que vem com as traças. Os vermes tiveram papel precursor na evolução. 

***

·       A poeta Cristine Nobre assumiu a Cadeira 12 da Academia de Cordel do Vale do Paraíba. O patrono é Manoel Camilo, o homem que inventou o país de São Saruê, um sertão diferente da imagem que se tem de nossa realidade nordestina. Construiu um novo olhar utópico sobre o cenário nordestino através da literatura de cordel.

***


·       Conto rápido: o homem sobe na amurada de ponte, olha o abismo e se prepara para o suicídio. O policial consegue chegar próximo, conversam durante dois minutos. Depois, os dois se jogam no precipício. Isso sim, é poder de persuasão! 

domingo, 10 de setembro de 2017

POEMA DE DOMINGO


QUADRÃO
Eu canto o quadro quadrado,
Quadrado bem quadrejado,
Meu quadro é quadriculado
Por causa da quadração,
Porque minhas quadras são
De maneira bem quadrada.
Por isso meu verso enquadra
Quadrado, quadro, quadrão”.

Cego Aderaldo (1878-1967) poeta popular cearense

terça-feira, 5 de setembro de 2017

SOBRE O LIVRO DE EVANIO TEIXEIRA


Evanio Teixeira deve ser entendido como um fenômeno. Nasceu no sítio, cercado por solidão literária, foi contaminada pela poesia e hoje faz um trabalho bom, porque transporta objetos imateriais diretamente para a sensibilidade do leitor. Isso é poesia.

Evanio insiste na sua poesia de qualidade, porque acha que a fantasia é a única a preservar a plenitude da vida. Sem se afastar da verdade poética, que é o princípio da interpretação do estar no mundo com a linguagem dos transformadores.

A poesia dá vantagens de ordem simbólica ao poetista. “Poesia não é farinha, mas ajuda a viver”, conforme meu compadre poeta Pádua Gorrion, de Itatuba. Os dois são meus confrades na Academia de Cordel do Vale do Paraíba. Estou convencido de que o alvo dos poetas é seu próprio cérebro. Ou “coração”, conforme os líricos. Escrevemos para nosso próprio gozo.

Evanio Teixeira também faz cordel. Uma poesia dita “popular”, trilhando pelos caminhos da modernidade, observando a técnica. A cabeça poética de Evanio fabrica versos amargurados e belos, nascidos sem médico nem parteira, cabendo nos versos livres ou aprisionados pelo metro do cordel. Falando em prisão, a moda é dizer que estamos resgatando o cordel. “Se é assim, quem o sequestrou?”, indaga o poeta Marco Haurélio. 

domingo, 3 de setembro de 2017

POEMA DO DOMINGO


POEMA DA CRIAÇÃO 

O rio não quer ir à parte alguma, 
Ele apenas quer ser livre, não cativo 
De um destino inexorável e incisivo 
Que ao final se desvanece qual espuma. 

Rio bravo que extrapola do seu leito 
Em momento de extrema liberdade, 
Na aquática desordem que invade 
Os limites do certo e do direito. 

É assim o artista na porfia 
Do momento supremo e criador 
Quando brinca de Deus e traça o mundo 
De acordo com estranha geografia. 


F. Mozart

sábado, 2 de setembro de 2017

Livro de Fábio Mozart vira roteiro de vídeo sobre violência política

“Sem ter raiz, a tropa suicida se veste de excremento e cheira cola”. Este é um dos versos do poema “Pátria armada”, de Fábio Mozart, do livro com o mesmo título publicado em 2000, que serve como base do roteiro de vídeo produzido e dirigido por Marcos Veloso, videasta paraibano. O vídeo está em fase de pré-produção.

O filme terá intérpretes novatos na tela, como Dalmo Oliveira e João Jales. “Vibrei com a leitura do roteiro, bastante interessante sobre repressão política pelo viés poético”, disse João Jales, produtor cultural e integrante do projeto de rádio web da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares. A temática passa também pela tortura como instrumento de investigação policial.

Marcos Veloso já produziu vários filmes em vídeo, aperfeiçoando-se e se especializando em trabalhos de ficção. Militante do cinema sem dinheiro, Veloso confessa que o tema sempre o rondou. “Peguei o argumento no livro de Fábio Mozart e ainda aproveito a música, composição de Hugo Tavares em cima dessa poesia para ser o tema do vídeo”, informou. “Transformar o poema em vídeo vem da necessidade de buscar novas formas de misturar poesia com imagens, sem querer ser um trabalho experimental ou de vanguarda”, adiantou Veloso.



sábado, 26 de agosto de 2017

Fábio Mozart lança folheto homenageando poeta potiguar

O cordelista Fábio Mozart está lançando o folheto “Chegada de Bob Motta ao céu de Adele”, homenagem póstuma ao folclorista e poeta Bob Motta, nascido na Paraíba e radicado em Natal, Rio Grande do Norte, falecido em julho deste ano. O lançamento será realizado no dia 31 de agosto, durante a posse de Cristine Nobre, substituta do poeta desaparecido na Academia de Cordel do Vale do Paraíba.
Além da Academia, Bob Motta fazia parte da União Brasileira de Trovadores e do Instituto Histórico e Geográfico do RN. “O folheto homenageia Bob e sua eterna amada, Adele, e registra a passagem neste planeta do poeta que dedicou sua vida a espalhar a cultura nordestina através dos seus poemas, trovas, verbetes e causos matutos”, afirmou Fábio Mozart.
O lançamento do cordel terá participação da Banda “Classic Band” e dos poetas da Academia, em sarau abrilhantado por Thiago Alves, Sander Lee, Tiago Monteiro, Sander Brown, Chico Mulungu, Marconi Araújo e Quelyno Sousa. O Tributo a Bob Motta será realizado às 19 horas do dia 31 de agosto no Centro Cultural Ariano Suassuna, do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, na Rua Prof. Geraldo Von Sohsten, 147 - Jaguaribe, João Pessoa.